Bariloche

Esquiar, andar de trenó, brincar na neve, sem dúvida Bariloche é um destino para curtir o inverno em grande estilo. A enorme quantidade de atrações e belezas naturais atrai para essa pequena cidade da Patagônia argentina famílias, casais e grupos de amigos interessados em diversão. E não é à toa, além das estações de esqui ainda é possível fazer passeios de barco pelo Lago Nahuel Huapi, praticar caminhadas ecológicas, mountain bike, wind surfe, entre outros. O clima frio e os hotéis e restaurantes aconchegantes também são muito convidativos. E mesmo no verão, Bariloche oferece diversas opções de lazer e aventura.

Muitas atrações no inverno mais quente da América do Sul

A cidade San Carlos de Bariloche está localizada dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi, na Patagônia Argentina, exatamente na divisa com o Chile. O Nahuel Huapi abriga um enorme lago de mesmo nome, além de outros lagos menores e mais de 700 hectares de terra com vegetação e espécies preservadas.

A existência da cidade e do parque está diretamente ligada ao trabalho do perito argentino Francisco Moreno, um dos primeiros a relatar para o mundo as belezas da Patagônia. Entre os anos 1876 e 1902, o perito andou pela região onde hoje fica Bariloche e o parque Nahuel Huapi para demarcar a fronteira entre Argentina e Chile.

Na época, ele descreveu o lugar: “….reúne as mais interessantes belezas naturais que observei em toda a Patagônia…”. Foi ele também o primeiro a sugerir que a região se tornasse um parque, para que a fauna e flora local pudessem ser preservadas. Seu encantamento pelo local era tanto, que chegou a doar as terras que ganhou do governo para a formação do parque.

O nome da cidade não é só Bariloche?

Cerro Catedral, em Bariloche

O nome San Carlos de Bariloche surgiu quando em 1895, um comerciante chamado Carlos Wiederhold, filho de alemães, construiu sua casa e mais tarde um comércio chamado “A Alemanha” na região. Em uma entrega endereçada a San Carlos (ao invés de Dom Carlos ou Senhor Carlos), Wiederhold decidiu trocar o nome de seu estabelecimento, que logo depois se tornou também o nome do povoado, agregado ao “de Bariloche”, uma deformação do nome Vuriloche, que significa pessoas diferentes do outro lado.

Esta denominação era dada aos indígenas que moravam nos vales da parte oriental da Cordilheira dos Andes.

Bariloche, como é popularmente conhecida, começou a receber seus primeiros visitantes no final do verão deste mesmo ano. Algum tempo depois, algumas rotas de chegada a cidade começaram a ser abertas, até que em 1913 foi finalizada a construção da primeira estrada. Em 1912, graças à visita do ex-presidente norte-americano Theodore Roosevelt, começaram as obras do primeiro aeroporto de Bariloche.

Fonte: Site oficial de Bariloche (www.barilochepatagonia.info)

Paraíso de gelo

Sim, a grande atração de Bariloche é a neve! Pelo menos para os brasileiros, a oportunidade de esquiar é inusitada. No entanto, as atrações da cidade não param por aí: com uma beleza rara, esse pedacinho da Patagônia Argentina revela belas montanhas com picos nevados, bosques, parques, e um imenso lago, o Nahuel Huapi.

Além do esqui, a cidade proporciona diversão para toda família em atividades como rafting, passeio de barco ou caiaque, escaladas, moutain bike, teleférico. Os casais também aproveitam muito o clima romântico com restaurantes inspirados na culinária argentina, italiana e suíça, casas de chá e hotéis charmosos e confortáveis.

Os centros de esqui ainda continuam sendo os mais disputados. Durante todas as temporadas de inverno, milhares de turistas de todo o mundo praticam o esporte e o aprendem nas escolas situadas nestes centros. Os locais são bem diversificados com espaço para iniciantes e praticantes mais experientes. Confira os principais centros de esqui.

CENTRO ESPORTIVO DE CERRO CATEDRAL

É o mais tradicional de Bariloche, com 600 hectares em um total de 70 km de pistas, das quais 25 por cento são consideradas de nível fácil, 60 por cento são intermediárias e avançadas e o restante, reservado aos praticantes mais experientes. Por conta disso, o local sedia campeonatos nacionais e internacionais de esqui. Nos começos de temporada, para atrair cada vez mais visitantes e se renovar a cada ano, o local promove novas modalidades de recreação, como passeios em motos de neve e trenós.

CERRO OTTO/ SLEDDING

São cinco pistas de esqui localizadas ao redor da Confeitaria Giratória do Cerro Otto, com diversos graus de dificuldade. A atração é recomendada para todas as idades.

CERRO OTTO/CENTRO DE SKI NÓRDICO

Localizado no Corro Otto, conta com pistas especialmente preparadas para fazer esqui nórdico. Os passeios nas motos de neve também divertem os turistas que visitam o local.

CERRO BAYO

Localizado a 80 km de Bariloche, na Villa La Angostura, tem pistas ideais para quem quer aprender a esquiar.

Natureza para qualquer lado que se olhe

Natureza e Esportes

Em Bariloche, as atividades turísticas se desenvolvem em um ambiente natural de beleza cênica. Vários locais como o Parque Nacional Nahuel Huapi, que abriga uma infinita diversidade de flora e fauna, permitem ao turista um maior contato com a natureza.

São várias as opções: Alto-andino, a maior praça central da cidade; o Bosque úmido, com suas enormes árvores avermelhadas; o Bosque de Transição, com centenas de espécies de animais; a Estepe, típica do território patagônico; e o Valle Challhuaco, com sua riquíssima fauna. A vista dessas paisagens deslumbrantes pode ser combinada com a prática do trekking, rafting, esqui, cavalgadas e outras atividades ao ar livre.

Fonte:Le Monde Diplomatique e Revista Próxima Viagem.

Saiba mais sobre:

Parque Nacional Nahuel Huapi
Vista do Parque Nacional Nahuel Huapi

Parque Nacional abriga a cidade de San Carlos de Bariloche, mas não pára por aí, ele também é formado por cinco lagos e 717 hectares de terra com flora e fauna preservadas. No parque, é possível aproveitar a natureza para caminhadas, passeios de bicicleta, pesca (somente no verão), cavalgadas, entre outras atividades.

Fauna do Valle Challhuaco
Valle Challhuaco - Foto: Aldia

Diante da exuberância deste bosque, há observadores atentos e lagoas cristalinas. O vale está habitado por uma fauna muito peculiar com espécies únicas no mundo. O espetáculo das aves oferece o eco de seus cantos e o brilho de sua plumagem. Além de admirar a bela paisagem, o local ainda é ótimo para cavalgadas, trekking, tirolesa e muitas outras atividades.

Centro Cívico
Centro Cívico de Bariloche

É o primeiro centro cívico da Argentina, inaugurado em 17 de março de 1940, construído em madeira e pedra extraída do monte Carbón. A torre, que abriga a sede da prefeitura de San Carlos de Bariloche, exibe na parte externa um enorme relógio, onde às 12h e às 18h aparecem quatro figuras representativas da região: o índio, o missionário, o conquistador e o trabalhador. End. Centro Civico, 8400

Complexo Turístico Teleférico Cerro Otto
Teleférico em Cerro Otto

O complexo está localizado a 5 km de San Carlos de Bariloche e além das pistas de esqui, ainda possui diversas outras atrações como a Confeitaria Giratória, a Galeria de Arte e o teleférico, que percorre o caminho da estação inferior à estação superior, localizada no ponto mais alto do Cerro. O percurso é realizado a uma velocidade de 3 m/s , com capacidade para 500 passageiros/hora.

Circuito Chico
Vista do lago Nahuel Huapi e de Lhao Lhao

O circuito é um percurso de aproximadamete 70 km por Bariloche e locais vizinhos. Com início na cidade, contorna o lago Nahuel Huapi, o maior da região. No km 8, há a Praia Bonita em frente a Ilha Huemul. Já no km 17 está a base de Cerro Campanário, seguindo para a península San Pedro e a Llao-Llao, onde é possível ter a vista privilegiada do Parque Nacional Nahuel Huapi, com todas as suas cores e formas.

Villa La Angostura
Villa La Angostura

Localizada ao pé da Cordilheira dos Andes é rodeada de lagos, rios e bosques e junto a tanta beleza, se agregam atividades culturais e esportivas. O local é propício para a pesca, trekking, mountain bike, aventura e descanso. Os praticantes de esqui contam com as pistas de Cerro Bayo, ideais para iniciantes. A vila ainda dispõe de infraestrutura com variedade de hospedagem e gastronomia que vão do econômico ao luxuoso.

Cerro Tronador
Cerro Tronador em Bariloche

Com saída de Bariloche, o passeio percorre as margens dos lagos Gutierrez e Macardi e continua até chegar a Pampa Linda. Quase no final do caminho, é possível ver o Ventisquero Negro e um pouco mais adiante termina o caminho, chegando ao Cerro. Os três picos que caracterizam o local são o Argentino, o Internacional e o Chileno. Seguindo as estações do ano, o conjunto de atividades vão se adaptando às condições do clima e dos encantos pelas quais cada uma se caracteriza.

Isla Victoria
Isla Victoria

É a maior ilha que emerge no centro do lago Nahuel Huapi, larga e coberta de bosques, com lagoas e pastos com fauna diversificada. A 35 minutos da Isla Victoria está o Parque Nacional Los Arrayanes onde está o Bosque Arrayanes, que inspirou o cenário do filme Bambi, da Walt Disney.

Pesca
Pesca no Parque Nahuel Huapi - Foto: Emprotur

A temporada de pesca começa em novembro e termina em abril, mas no lago Moreno a pesca é permitida durante o ano inteiro. O Parque Nacional Nahuel Huapi possui uma importante bacia lacustre e fluvial, com costas de fácil acesso, particularmente adequadas para a reprodução de peixes. A truta de arroio, a truta criolla ou perca e o salmão são algumas das espécies encontradas e também serão motivos de um dia de pesca esportiva, com a utilização das técnicas de spinning (colher), fly casting (mosca artificial), e trolling (pesca de engodo em que se usam diversas iscas artificiais).

Cerro Catedral
Pista de esqui em Cerro Catedral - Foto: www.barilochepatagonia.info

Lago Nahuel Huapi 

Lago Nahuel Huapi - Foto: Emprotur

Muita gente sabe que Bariloche fica às margens do Lago Nahuel Huapi, mas poucos imaginam que esse “laguinho” tem 557 quilômetros quadrados e cerca de 450 metros de profundidade. Acredita-se que suas águas seriam suficientes para inundar três cidades do tamanho de Buenos Aires. Por conta de sua extensão, o lago é ótimo para passeios de barco, práticas de esporte e até para pegar um bronzeado no verão. Muitos vão até às suas margens ao entardecer, pois dizem que quem presencia o pôr-do-sol no lago, nunca mais esquece!

Carne e vinho para aquecer o inverno!

Cordeiro Patagônico

O clima frio de Bariloche é mais que um convite para experimentar a gastronomia argentina. O ponto alto são as carnes, como a Parrilla (churrasco) e os defumados de cervo, truta, salmão e javali, sempre acompanhados de um bom vinho argentino, é claro. A cidade também tem boas opções para os amantes da cozinha européia, com opções de massa, pizza e fondue.

Chocolates de Bariloche

Nos hotéis, cafés e confeitarias, o turista pode tomar um café da manhã com pão trançado recheado, bolinho quente com manteiga ou uma variedade de doces regionais como as deliciosas tortas. Tudo acompanhado de um bom chá, chocolate quente ou café. Se você não dispensa a sobremesa, não deixe de provar os sorvetes artesanais e os chocolates.

INFLUÊNCIAS INDÍGENAS E EUROPÉIAS

Comércio de Bariloche

Bariloche oferece opções de compra que vão desde artesanato até roupa e acessórios de couro. A maioria dos produtos artesanais e souvenires fabricados na cidade é o resultado de uma rica mistura entre as técnicas indígenas e as dos imigrantes europeus, que resultam em lindos objetos de madeira e couro. Pela cidade é fácil encontrar lojas vendendo roupas de inverno, e na Rua Mitre – a principal de Bariloche – há também lojas de grifes famosas. Quem não dispensa os quitutes, pode levar para casa chocolates artesanais, alfajores, compotas, biscoitos e o tradicional doce de leite.